sexta-feira, 16 de setembro de 2016

Ecovila de Agricultura Familiar PRONAF

ANEXO I –

AQUISIÇÃO DE COTAS para subsidiar a estruturação e construção da ECOVILA
  
ENTIDADE SEM FINS LUCRATIVOS: ASSOCIAÇÃO DA AGRICULTURA FAMILIAR, Associada Fundadora da Cooperativa da Agricultura Familiar.
OBJETIVO: Formar uma Ecovila de agricultura familiar, composta de *ambientalistas *aposentados (até três filhos e três netos na habitação), portanto, até oito pessoas por família. 
A ECOVILA da ASSOCIAÇÃO DA AGRICULTURA FAMILIAR será uma referência de vida com produtividade agrícola, moldada nos valores de defesa da natureza e pautada em sistema Agroflorestal, em interação com a cultura local.   *Ambientalistas porque além da predisposição pela causa ambiental, a maioria tem convicção que poderá contribuir com a inclusão dos projetos nos Editais ATER para o PRONAF, e outros. *Aposentados (ou em vias de aposentação) porque poderão contribuir com a aquisição e/ou manutenção de maquinários, ferramentas e materiais para infraestrutura dos empreendimentos cooperativos da Agricultura Familiar. 

MISSÃO
Considerar todos os seres dignos de respeito e os humanos com iguais oportunidades de inclusão, que funcione como um coletivo de Agricultura Familiar em mútua colaboração solidária e não competitivo.
Manejo Agroecológico utilizando sementes crioulas e adubação orgânica com os resíduos vegetais do local, sem utilização de agrotóxicos, sem alterações impactantes. Além da permacultura (sistema de design para a criação de ambientes humanos sustentáveis e produtivos em equilíbrio e harmonia com a natureza) atividades pertinentes com orientação e capacitação pela EMBRAPA/EBDA/CEPLAC e BAHIAATER para apicultura, piscicultura, plantio de palmeiras nativas e o açaí, poderá ocorrer como num sistema de agricultura sintrópica (Ernst Götsch)
Prevê-se, para as futuras Reserva Particular de Patrimônio Nacional (RPPN) e a ECOVILA estruturação básica necessária, para atender seus moradores (e posteriormente, o turismo rural) observando, sempre, o respeito à fauna e flora, manejo de forma sustentável, em equilíbrio com os ecossistemas do local, respeitando também as aptidões em sua territorialidade sócio econômica voltada à Agricultura Familiar/PRONAF, junto aos moradores ribeirinhos e pescadores locais.

SUGESTÃO LOGÍSTICA DOS ESPAÇOS:
I. COTA I - Área para empreendimentos voltados ao TURISMO RURAL*, aos cotistas adquirentes de área central titulada, preferencialmente de clareira ou pastaria existente, com perímetro de 5 mil metros quadrados ou meia hectare; valor: R$50.000,00 (5 sócios = R$10.000,00 cada cotista); os responsáveis pelo zoneamento ou licenciamento serão os próprios cotistas empreendedores associados.
TIPO DE EMPREENDIMENTOS AGROFLORESTAIS PERMITIDOS:
a) Fabricação de tijolo ecológico empregando solo do próprio local para as construções civis;
b) Plantio, cultivo e beneficiamento de açaí, cacau e outras frutíferas matéria-prima na produção de polpas de frutas;
c) Plantio, cultivo e beneficiamento de coco-de-dendê matéria-prima da produção de sabões e detergentes;
d) Plantio, cultivo e beneficiamento de pupunha e outras palmeiras para obtenção do leite de coco, cocadas, palmito, açaí, dendê além de outras utilidades.
OBS: Nessa ÁREA I COTA I Central, reservada ao turismo ambiental, poderá ser construído: HOTELARIA - SALÃO com quiosque, cozinha, varandas, sanitários e loja de conveniência p/os turistas. RECEPÇÃO de acesso aos chalés e à piscina natural, com total privacidade. AUDITÓRIO: podendo haver, contíguo a este, creche com parque infantil guarnecido com gramado para a criançada. Piscina de água natural exclusiva para os turistas na temporada de veraneio.

            Quanto à dispensa do licenciamento ambiental. Citação : PL 3729/04 [...]A proposta dispensa do licenciamento ambiental as atividades agropecuárias e de florestas plantadas. A Câmara dos Deputados pode colocar em votação a qualquer momento o substitutivo ao PL 3729/04, projeto de lei que busca criar um novo “sistema” de licenciamento ambiental. O substitutivo elaborado pelo deputado Mauro Pereira (PMDB/RS), relator da Comissão de Finanças e Tributação, acaba, na prática, com o licenciamento ambiental brasileiro. [...] A proposta também delega aos Estados e Municípios a definição de quais empreendimentos estarão sujeitos ao licenciamento ambiental, de acordo com a natureza, porte e potencial poluidor. O licenciamento poderia se dar em três modalidades: ordinário, simplificado ou dispensa. Essa discricionariedade incluída no artigo 3º do substitutivo, desconsidera biomas, bacias hidrográficas e áreas estratégicas para conservação, ‘enfraquecendo a União na competência de dar diretrizes gerais para a proteção do meio ambiente’ (grifo nosso, porque delegar funções aos Estados e Municípios, é inerente à descentralização de poderes, a exemplo do NMROSC Lei 3.019/2014 que permite um diálogo permanente com a sociedade civil, como protagonista e multiplicadora da execução, fiscalização e divulgação das ações propostas em seus projetos comunitários, para o bem comum). O dispositivo permite, por exemplo, que uma mineração seja dispensada de licenciamento em um estado e submetida à licenciamento ordinário com EIA/Rima em outro. [...] O único zoneamento agroecológico aprovado atualmente é o da cana-de-açúcar, que tampouco é aprovado por lei específica, mas sim pelo Decreto nº 6.961, de 2009. Sendo assim, não havendo qualquer restrição legal, a entrada em vigor da lei proposta liberaria de forma generalizada as atividades de agricultura e floresta plantada. Fonte:

 II. ÁREA II COTA II - ÁREA SATÉLITE comum as famílias da Agricultura Familiar composta inicialmente de 10 famílias (pais, filhos, netos) podendo estender-se nos parâmetros do Estatuto;
_ PERÍMETRO de cada lote da área periférica ao norte: 10 mil metros quadrados ou uma hectare; valor R$50.000,00 (5 sócios parentes de primeiro grau = R$10.000,00 cada); constituição da Cooperativa de Agricultura Familiar: estes adquirentes de terras no loteamento ao norte (item ‘f’) cuja produção agroflorestal permite o fomento de matéria-prima aos empreendedores de ambas as COTAS como: a) Plantio e cultivo de açaí, cacau e outras frutíferas - matéria-prima para produção de polpas de frutas e o chocolate; b) Plantio e cultivo de coco-de-dendê; c) Plantio e cultivo de pupunha e outras palmeiras do palmito; produção de mudas para reflorestamento e para o sistema Agroflorestal - plantio direto consorciado com o plantio de alimentícias como, manivas, grãos, leguminosas.   OBS:* A aquisição da COTA I aglutinará os empreendimentos voltados ao atendimento do turismo rural e sua sistematização, através das TIC (Tecnologia da Informação e Comunicação) e das Tecnologias na construção civil entre outras. Enquanto os da COTA II com o dobro de área dos cotistas adquirentes da COTA I. Ambos integrarão seus esforços conjuntamente na construção da Ecovila, voltada à produção orgânica para o consumo interno, podendo assumir convênio para fornecimento à Alimentação Escolar do município.
III. ECONOMIA BASEADA EM RECURSOS PARA A SUSTENTABILIDADE:
* Reaproveitamento de árvores caídas ou derrubadas na criação de vias de acesso, serão utilizadas na construção de cercas, mourões, escadaria de contenção, pontilhões de madeira sobre rios e córregos.
* Construções dos da COTA I - Clareiras ou descampados, devem ser aproveitados na construção dos empreendimentos para atendimento ao TURISMO ECOLÓGICO como, loteamento central1, portaria, auditório, campo de futebol, parque infantil com piscina natural, delimitados com plantas de jardinagem e paisagismo, além de gramíneas nas encostas.
* Construção da ECOVILA COTA II- Clareiras ou descampados, devem ser aproveitados tanto na construção da ECOVILA, como áreas destinadas a loteamento, campo de futebol, parque infantil com piscina natural, delimitados com plantas de jardinagem e paisagismo, gramíneas nas encostas, Horto florestal, pomares, horta comunitária e estufas para a produção e fornecimento de mudas para arborização de matas ciliares e substituição de árvores quiescentes (envelhecidas).
* Centro Holístico – Um espaço comum, reservado para meditação, observação da paisagem em harmonia com a natureza; - Praça de convívio social pacífico e de reunião ou celebração dos moradores;
* Intercâmbio de aprendizagens sócio educativas com qualidade de vida: Escola, Centro Comunitário para atendimento do CRAS, vacinações, pré-natal...

IV. INFRAESTRUTURAÇÃO: Financiamento para máquinas agrícolas/utilitários como, trator; escavadeira; veículo-JEEP ou TOYOTA; roçadeira, triturador, moto serra; maquita e discos; furadeira, parafusadeira, lixadeira, soldadeira. OBS: olaria requer máquina para prensagem de tijolo ecológico;
»INSTALAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA E SOLAR: alicates, fita isolante; extensões, gerador, placas solares, postes e fiação elétrica (+ou- 3mil metros);  
»HIDRÁULICA: canos, boias, mangueiras, caixas d’água, caixas de gordura e coletora de efluente, joelhos, fita-veda-rosca, escavação de tanques para piscicultura e para fossas sépticas;
»PERMACULTURA: canos, joelhos, carneiros, caixas d’água e caixas coletoras, peleteira.
»FERRAMENTAS AUXILIARES: Martelo, marreta, cavador, enxada, enxadete, ancinho, serrote e serra, tesouras, facões, alicates, vergalhões e vigas; arame liso e farpado e os grampos.
»PROTEÇÃO: botas, meias, luvas, bonés, calças e camisas manga comprida etc.
PERMACULTURA: proteína animal e horticultura - CRIAÇÃO DE PEIXES: tilápia ou camarão (mais complexo). Há várias possibilidades de cultivos: maracujá, chuchu, tomate, uva necessitam de estaleiros que serão construídos com troncos e galhos do local.

V. LOGÍSTICA DOS ESPAÇAMENTOS:
PRESERVAÇÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS: de fontes, nascentes e os lençóis freáticos.
* Poços artesianos para irrigação, dista 500m de fossas, banheiros, latrinas (WC) e cochos de armazenamento de restos orgânicos (adubo), para não contaminar as fontes, nascentes e os lençóis freáticos.
* Dista 250m de nascentes, fontes e de lençóis freáticos: Áreas de cozinha e de criação de animais. Ao fundo, banheiros com fossas sépticas e as com caixas coletoras encanadas para o bananal.
a) Sede da Cooperativa de Agricultura Familiar e Área da copa-cozinha com refeitório comunitário.
b) CONSTRUÇÃO de guarita/conteiners/almoxarifado, com estacionamento próximo ao campo de futebol;
c) CHÁCARA ou pomar onde serão plantadas árvores e frutíferas;
d) Além da Horta Comunitária, haverá estufa para preparação de mudas de árvores-sombreiros e frutíferas, para o reflorestamento de matas ciliares, além das ornamentais.
TRATAMENTO DE RESÍDUOS:
e) GALPÃO - CENTRO DE RECICLAGEM DE MATERIAIS para seleção de resíduos sólidos reutilizáveis. _COCHOS para fermentação e produção de adubo orgânico: aeração diária dos restos orgânicos.
f) CONSTRUÇÃO DE CASAS ECOLOGICAMENTE CORRETAS, deverão interferir o mínimo na mata nativa: Os lotes satélites – COTA II situam-se no entorno (dos LOTES COTA I), delimitando áreas que dão acesso à Horta Comunitária e às estufas; OBS: Todas as quadras de ambos os loteamentos poderão ser delimitadas por cercas vivas.
g) DELIMITAÇÃO ENTRE LOTEAMENTOS: Trilhas que separam as quadras/hectares, poderão ter cercas vivas de hibisco, crótons ou murta. Ao longo dessas trilhas naturais poderá haver alguns chalés ou casas ecológicas residenciais de taipa, com degraus revestidos de pedra ou madeira antiderrapante. Bambuzal ao longo dos aceiros perimetrais, entre hectares.
h) Instalações sanitárias e banheiros para os visitantes, com fossa subterrânea canalizada para os tanques, com caixas coletoras (em declive) até o bananal;
I) Área para camping e jogos recreativos, tudo delimitado com cerca viva, gramados e jardinagem;
 j) Encostas dos córregos ou cursos d’água revestidos com gramíneas.
l) Flora e fauna devidamente respeitadas “Leve apenas a saudade”.

CONSIDERAÇÕES:
Aqui interior Sul da Bahia, além dos fatores climáticos, o fungo causador da vassoura-de-bruxa requer poda e enterrar seus restos, no combate, continuamente. A assistência ATER do PRONAF é dignificante e com a criação da Cooperativa, a aquisição dos insumos e materiais pode ser deduzido do IR, no incremento dos projetos para Agricultura Familiar (AF).
Há cerca de há 30 anos veio Ernst Götsch para Piraí do Norte, implantou Agricultura Sintropica em um solo que era estéril pela seca e agora comprovadamente fértil, confirma que plantar árvore é plantar água. Este é um bom exemplo de cuidar do solo, da água, fauna e flora. Para isso é necessário um mínimo de estruturação como, manutenção de estrada vicinal (de barro, cascalho), instalação de energia, poços artesianos e água encanada, compra de maquinários, vestes protetoras enfim, a segurança e o conforto no trabalho servil, servente. Queremos sim, ir para a roça contando com equipamentos e tecnologias que facilitem o nosso labor rural cotidiano. Para isso precisamos de subsídios para:
_ CADASTRO AMBIENTAL RURAL aqui no sul da Bahia chama-se CEFIR.
- DAP – Declaração de Aptidão ao PRONAF
- GEOPROCESSAMENTO
-Formação do Conselho da Associação de Agricultura Familiar.
-ATA DA REUNIÃO assinada pelos conselheiros mediante a Elaboração do Estatuto e do Regimento Interno da Associação de Agricultura Familiar.
-Constituição DA COOPERATIVA de AGRICULTURA FAMILIAR;
-Fotos dos parceiros em atividade rural, na Agricultura Familiar.

PROPOSTA SUGERIDA: das 54 HA, pelo menos 1/3 será loteado, assim: pretendemos vender a hectare (10 mil metros quadrados) por R$50.000,00 (cinquenta mil reais) quase o preço de um lote de 500m2 na orla de SAQUAÍRA/MARAÚ-BAHIA.
EMPREGO DA VERBA ARRECADADA COM A VENDA DOS LOTES - PRIORIDADE: gerador e fiação elétrica, placas solares, postes. Assim, conseguiríamos, além da energia e água encanada, comprar trator, roçadeira, betoneira, triturador, máquina de fazer tijolo ecológico, o que for necessário para estruturação e construções.
Essas terras valorizam porque há duas possibilidades de acesso: a) pelo asfalto que dista cerca de 6KM do acesso à estrada vicinal (esta, 2KM); e, b) também por Ubaitaba, chegamos ao porto de Tremembé; transferimos os víveres e objetos para o barco a motor e logo adentramos o rio, prosseguindo pela cachoeira de Tremembé, velejamos até atracar no porto-sede da Fazenda Rio do poço (futura Ecovila de Agricultura Familiar). Rica em cursos de água, córregos, poços, vegetações nativas, enfim, onde cavar jorra água; eu diria que a seca que assolou Coaraci, Ibicaraí, Itabuna e região, não atingiu a futura Ecovila, a qual é circundada por serras de Mata Atlântica e toda noite chove. Portanto, urge à preservação dessa floresta com suas nascentes e solo úmido, rico em nutrientes orgânicos, pela presença do mangue além da Mata Atlântica. Podemos estabelecer parcerias com ambientalistas que apostem na sustentabilidade e na preservação ambiental. Os cotistas terão oportunidade de comprar terras vizinhas. 
Ambientalistas têm conseguido incluir-se em um paradigma menos consumista, mais humano, digno de sobriedade e isonomia em todos os sentidos, sabendo que jamais estarão sozinhos porque todos os envolvidos trocam e compartilham seus saberes, capacitam-se voluntariamente, pelo sucesso da Entidade sem fins lucrativos (OSC), buscando uma economia baseada nos recursos (ou Recursos Baseados na Economia) via PRONAF e parcerias afins, desde que amparados por um Estatuto, um Regimento Interno, sem contradizer a Legislação Lei 9.790, Decreto 3.100/1999, além das leis, nº 5764/1971, nº 10.406/2002, nº 12.690/2012, e, 13.019/2014 (Novo Marco Regulatório das Organizações Sociais Civis) e demais legislações vigentes aplicáveis.
REFERÊNCIAS
Fonte: http://presrepublica.jusbrasil.com.br/legislacao/111355/decreto-3100-99

Lei 5.764 de 16 de dezembro de 1971 é a Lei das Cooperativas.  Fonte: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/Lei 5.764.htm

Tesouro Capaz de libertar:: AQUISIÇÕES INTELECTUAIS



Gente, achei importantíssimo guardar aqui, o que um jovem com metade da minha idade expressou após suas experiências, durante os quatro anos que esteve aqui no Brasil. Tudo que ele percebeu muitos de nós, idosos, vemos que é a realidade, porque eu, por exemplo, estive confusa, iludida com a "ilha-da-fantasia" que a minha genitora quis inculcar na mente dos filhos, tanto que fui uma pessoa conflitada, confusa, podada, complexada até a depressão (na época nem sabia que era depressão ou psicológico), tratada apenas quando, na idade adulta, participei de grupos de orações na Primeira Igreja Batista de Coaraci, convidada por minha colega de trabalho Valdiva Borges a qual sempre me convidava e, JESUS, o Médico dos Médicos até hoje tem me libertado das más lembranças da infância que não tive, nem adolescência, eu não sabia o que era cultivar valores espirituais. Mas, não guardo nenhuma revolta, porque uma vez perdoada e perdoante, consegui e permaneço internalizando mais e mais libertações. Afinal, sob o comando da MATRIX todos estamos, mas, precisamos aproveitar dessas reflexões e aprendizagens que adquirimos com vários grupos como, os veganos, os ambientalistas, os da Agricultura Familiar etc etc. Aqui está a realidade vista por Leandro Zaid:
 Publicado em 31 de jan de 2016 Fonte: https://www.youtube.com/user/leandrozaydvlog

A felicidade vem de Deus! Fonte de água viva que dá alegria verdadeira! Somos saciados com O MESSIAS! Quando tentamos preencher nossa alma nas águas superficiais do consumo, álcool, drogas, medicações, glutonarias, ou qualquer outra forma de excesso, seja pelo sucesso profissional, riquezas materiais na busca pelo poder, esse tipo de compensação traz dependência e não liberta o amor nas relações com marido, filhos e familiares e estamos camuflando o dom inato de amar! Os prazeres momentâneos que ‘resolve’ nossos problemas, mas a tristeza retorna sempre que não alcançamos algo material. Quando aprendemos amar, a humildade, a caridade, o perdão, a comunhão, a renúncia, o valor da família, o servir, acolher, ouvir e partilhar sobriedade e humildade, a alegria com amigos e familiares flui livremente! Somente o amor de Deus nos traz a verdadeira paz!!  Sou mais feliz sob o comando do Criador na minha vida!!!

Querido Brasil,
O Carnaval acabou. O “ano novo” finalmente vai começar e eu estou te deixando para voltar para o meu país.
Assim como vários outros gringos, eu também vim para cá pela primeira vez em busca de festas, lindas praias e garotas. O que eu não poderia imaginar é que eu passaria a maior parte dos 4 últimos anos dentro das suas fronteiras. Aprenderia muito sobre a sua cultura, sua língua, seus costumes e que, no final deste ano, eu me casaria com uma de suas garotas.
Não é segredo para ninguém que você está passando por alguns problemas. Existe uma crise política, econômica, problemas constantes em relação à segurança, uma enorme desigualdade social e agora, com uma possível epidemia do Zika vírus, uma crise ainda maior na saúde.
Durante esse tempo em que estive aqui, eu conheci muitos brasileiros que me perguntavam: “Por que? Por que o Brasil é tão ferrado? Por que os países na Europa e América do Norte são prósperos e seguros enquanto o Brasil continua nesses altos e baixos entre crises década sim, década não?”
No passado, eu tinha muitas teorias sobre o sistema de governo, sobre o colonialismo, políticas econômicas, etc. Mas recentemente eu cheguei a uma conclusão. Muita gente provavelmente vai achar essa minha conclusão meio ofensiva, mas depois de trocar várias ideias com alguns dos meus amigos, eles me encorajaram a dividir o que eu acho com todos os outros brasileiros.
Então aí vai: é você.
Você é o problema.
Sim, você mesmo que está lendo esse texto. Você é parte do problema. Eu tenho certeza de que não é proposital, mas você não só é parte, como está perpetuando o problema todos os dias.
Não é só culpa da Dilma ou do PT. Não é só culpa dos bancos, da iniciativa privada, do escândalo da Petrobras, do aumento do dólar ou da desvalorização do Real.
O problema é a cultura. São as crenças e a mentalidade que fazem parte da fundação do país e são responsáveis pela forma com que os brasileiros escolhem viver as suas vidas e construir uma sociedade.
O problema é tudo aquilo que você e todo mundo a sua volta decidiu aceitar como parte de “ser brasileiro” mesmo que isso não esteja certo.
Quer um exemplo?
Imagine que você está de carona no carro de um amigo tarde da noite. Vocês passam por uma rua escura e totalmente vazia. O papo está bom e ele não está prestando muita atenção quando, de repente, ele arranca o retrovisor de um carro super caro. Antes que alguém veja, ele acelera e vai embora.
No dia seguinte, você ouve um colega de trabalho que você mal conhece dizendo que deixou o carro estacionado na rua na noite anterior e ele amanheceu sem o retrovisor. Pela descrição, você descobre que é o mesmo carro que seu brother bateu “sem querer”. O que você faz?
A) Fica quieto e finge que não sabe de nada para proteger seu amigo? Ou
B) Diz para o cara que sente muito e força o seu amigo a assumir a responsabilidade pelo erro?
Eu acredito que a maioria dos brasileiros escolheria a alternativa A. Eu também acredito que a maioria dos gringos escolheria a alternativa B.
Nos países mais desenvolvidos o senso de justiça e responsabilidade é mais importante do que qualquer indivíduo. Há uma consciência social onde o todo é mais importante do que o bem-estar de um só. E por ser um dos principais pilares de uma sociedade que funciona, ignorar isso é uma forma de egoísmo.
Eu percebo que vocês brasileiros são solidários, se sacrificam e fazem de tudo por suas famílias e amigos mais próximos e, por isso, não se consideram egoístas.
Mas, infelizmente, eu também acredito que grande parte dos brasileiros seja extremamente egoísta, já que priorizar a família e os amigos mais próximos em detrimento de outros membros da sociedade é uma forma de egoísmo.
Sabe todos aqueles políticos, empresários, policiais e sindicalistas corruptos? Você já parou para pensar por que eles são corruptos? Eu garanto que quase todos eles justificam suas mentiras e falcatruas dizendo: “Eu faço isso pela minha família”. Eles querem dar uma vida melhor para seus parentes, querem que seus filhos estudem em escolas melhores e querem viver com mais segurança.
É curioso ver que quando um brasileiro prejudica outro cidadão para beneficiar sua família, ele se acha altruísta. Ele não percebe que altruísmo é abrir mão dos próprios interesses para beneficiar um estranho se for para o bem da sociedade como um todo.
Além disso, seu povo também é muito vaidoso, Brasil. Eu fiquei surpreso quando descobri que dizer que alguém é vaidoso por aqui não é considerado um insulto como é nos Estados Unidos. Esta é uma outra característica particular da sua cultura.
Algumas semanas atrás, eu e minha noiva viajamos para um famoso vilarejo no nordeste. Chegando lá, as praias não eram bonitas como imaginávamos e ainda estavam sujas. Um dos pontos turísticos mais famosos era uma pedra que de perto não tinha nada demais. Foi decepcionante.
Quando contamos para as pessoas sobre a nossa percepção, algumas delas imediatamente disseram: “Ah, pelo menos você pode ver e tirar algumas fotos nos pontos turísticos, né?”
Parece uma frase inocente, mas ela ilustra bem essa questão da vaidade: as pessoas por aqui estão muito mais preocupadas com as aparências do que com quem eles realmente são.
É claro que aqui não é o único lugar no mundo onde isso acontece, mas é muito mais comum do que em qualquer outro país onde eu já estive.
Isso explica porque os brasileiros ricos não se importam em pagar três vezes mais por uma roupa de grife ou uma jóia do que deveriam, ou contratam empregadas e babás para fazerem um trabalho que poderia ser feito por eles. É uma forma de se sentirem especiais e parecerem mais ricos. Também é por isso que brasileiros pagam tudo parcelado. Porque eles querem sentir e mostrar que eles podem ter aquela super TV mesmo quando, na realidade, eles não tenham dinheiro para pagar. No fim das contas, esse é o motivo pelo qual um brasileiro que nasceu pobre e sem oportunidades está disposto a matar por causa de uma motocicleta ou sequestrar alguém por algumas centenas de Reais. Eles também querem parecer bem sucedidos, mesmo que não contribuam com a sociedade para merecer isso.
Muitos gringos acham os brasileiros preguiçosos. Eu não concordo. Pelo contrário, os brasileiros têm mais energia do que muita gente em outros lugares do mundo (vide: Carnaval).
O problema é que muitos focam grande parte da sua energia em vaidade em vez de produtividade. A sensação que se tem é que é mais importante parecer popular ou glamouroso do que fazer algo relevante que traga isso como consequência. É mais importante parecer bem sucedido do que ser bem sucedido de fato.
Vaidade não traz felicidade. Vaidade é uma versão “photoshopada” da felicidade. Parece legal vista de fora, mas não é real e definitivamente não dura muito.
Se você precisa pagar por algo muito mais caro do que deveria custar para se sentir especial, então você não é especial. Se você precisa da aprovação de outras pessoas para se sentir importante, então você não é importante. Se você precisa mentir, puxar o tapete ou trair alguém para se sentir bem sucedido, então, você não é bem sucedido. Pode acreditar, os atalhos não funcionam aqui.
E sabe o que é pior? Essa vaidade faz com que seu povo evite bater de frente com os outros. Todo mundo quer ser legal com todo mundo e acaba ou ferrando o outro pelas costas, ou indiretamente, só para não gerar confronto.
Por aqui, se alguém está 1h atrasado, todo mundo fica esperando essa pessoa chegar para sair. Se alguém decide ir embora e não esperar, é visto como cuzão. Se alguém na família é irresponsável e fica cheio de dívidas, é meio que esperado que outros membros da família com mais dinheiro ajudem a pessoa a se recuperar. Se alguém num grupo de amigos não quer fazer uma coisa específica, é esperado que todo mundo mude os planos para não deixar esse amigo chateado. Se em uma viagem em grupo alguém decide fazer algo sozinho, este é considerado egoísta.
É sempre mais fácil não confrontar e ser boa praça. Só que onde não existe confronto, não existe progresso.
Como um gringo que geralmente não liga a mínima sobre o que as pessoas pensam de mim, eu acho muito difícil não enxergar tudo isso como uma forma de desrespeito e auto-sabotagem. Em diversas circunstâncias eu acabo assistindo os brasileiros recompensarem as “vítimas” e punirem àqueles que são independentes e bem resolvidos.
Por um lado, quando você recompensa uma pessoa que falhou ou está fazendo algo errado, você está dando a ela um incentivo para nunca precisar melhorar. Na verdade, você faz com que ela fique sempre contando com a boa vontade de alguém em vez de ensina-la a ser responsável.
Por outro lado, quando você pune alguém por ser bem resolvido, você desencoraja pessoas talentosas que poderiam criar o progresso e a inovação que esse país tanto precisa. Você impede que o país saia dessa merda que está e cria ainda mais espaço para líderes medíocres e manipuladores se prolongarem no poder.
E assim, você cria uma sociedade que acredita que o único jeito de se dar bem é traindo, mentindo, sendo corrupto, ou nos piores casos, tirando a vida do outro.
As vezes, a melhor coisa que você pode fazer por um amigo que está sempre atrasado é ir embora sem ele. Isso vai fazer com que ele aprenda a gerenciar o próprio tempo e respeitar o tempo dos outros.
Outras vezes, a melhor coisa que você pode fazer com alguém que gastou mais do que devia e se enfiou em dívidas é deixar que ele fique desesperado por um tempo. Esse é o único jeito que fará com que ele aprenda a ser mais responsável com dinheiro no futuro.
Eu não quero parecer o gringo que sabe tudo, até porque eu não sei. E Deus bem sabe o quanto o meu país também está na merda (eu já escrevi aqui sobre o que eu acho dos EUA).
Só que em breve, Brasil, você será parte da minha vida para sempre. Você será parte da minha família. Você será meu amigo. Você será metade do meu filho quando eu tiver um.
E é por isso que eu sinto que preciso dividir isso com você de forma aberta, honesta, com o amor que só um amigo pode falar francamente com outro, mesmo quando sabemos que o que temos a dizer vai doer.
E também porque eu tenho uma má notícia: não vai melhorar tão cedo.
Talvez você já saiba disso, mas se não sabe, eu vou ser aquele que vai te dizer: as coisas não vão melhorar nessa década.
O seu governo não vai conseguir pagar todas as dívidas que ele fez a não ser que mude toda a sua constituição. Os grandes negócios do país pegaram dinheiro demais emprestado quando o dólar estava baixo, lá em 2008-2010 e agora não vão conseguir pagar já que as dívidas dobraram ou triplicaram de tamanho. Muitos vão falir por causa disso nos próximos anos e isso vai piorar a crise.
O preço das commodities estão extremamente baixos e não apresentam nenhum sinal de aumento num futuro próximo, isso significa menos dinheiro entrando no país. Sua população não é do tipo que poupa e sim, que se endivida. As taxas de desemprego estão aumentando, assim como os impostos que estrangulam a produtividade da classe trabalhadora.
Você está ferrado. Você pode tirar a Dilma de lá, ou todo o PT. Pode (e deveria) refazer a constituição, mas não vai adiantar. Os erros já foram cometidos anos atrás e agora você vai ter que viver com isso por um tempo.
Se prepare para, no mínimo, 5-10 anos de oportunidades perdidas. Se você é um jovem brasileiro, muito do que você cresceu esperando que fosse conquistar, não vai mais estar disponível. Se você é um adulto nos seus 30 ou 40, os melhores anos da economia já fazem parte do seu passado. Se você tem mais de 50, bem, você já viu esse filme antes, não viu?
É a mesma velha história, só muda a década. A democracia não resolveu o problema. Uma moeda forte não resolveu o problema. Tirar milhares de pessoas da pobreza não resolveu o problema. O problema persiste. E persiste porque ele está na mentalidade das pessoas.
O “jeitinho brasileiro” precisa morrer. Essa vaidade, essa mania de dizer que o Brasil sempre foi assim e não tem mais jeito também precisa morrer. E a única forma de acabar com tudo isso é se cada brasileiro decidir matar isso dentro de si mesmo.
Ao contrário de outras revoluções externas que fazem parte da sua história, essa revolução precisa ser interna. Ela precisa ser resultado de uma vontade que invade o seu coração e sua alma.
Você precisa escolher ver as coisas de um jeito novo. Você precisa definir novos padrões e expectativas para você e para os outros. Você precisa exigir que seu tempo seja respeitado. Você deve esperar das pessoas que te cercam que elas sejam responsabilizadas pelas suas ações. Você precisa priorizar uma sociedade forte e segura acima de todo de qualquer interesse pessoal ou da sua família e amigos. Você precisa deixar que cada indivíduo lide com os seus próprios problemas, assim como você não deve esperar que ninguém seja obrigado a lidar com os seus.
Essas são escolhas que precisam ser feitas diariamente. Até que essa revolução interna aconteça, eu temo que seu destino seja repetir os mesmos erros por muitas outras gerações que estão por vir.
Você tem uma alegria que é rara e especial, Brasil. Foi isso que me atraiu em você muitos anos atrás e que me faz sempre voltar. Eu só espero que um dia essa alegria tenha a sociedade que merece.
Seu amigo Leandro Zaid

Publicado em 31 de jan de 2016 – Fonte: https://www.youtube.com/user/leandrozaydvlog
mais sugestões por Leandro Zaid:
Só temos 1 planeta, dependemos dele para viver, mas não respeitamos os limites ambientais.

Lobos mudam o comportamento dos rios: 
https://www.youtube.com/watch?v=nW5zt...

Poeira da NASA viaja até a Amazônia: 
http://exame.abril.com.br/tecnologia/...

A mãe natureza manda: 
https://www.youtube.com/watch?v=NFm_O...

Humanidade consome 50% mais recursos que o planeta: 
http://memoria.ebc.com.br/agenciabras... http://noticias.terra.com.br/ciencia/...

Humanidade precisará de 3 planetas em 2050: 
http://planetasustentavel.abril.com.b... http://g1.globo.com/natureza/noticia/...

20% da população consome 80% dos recursos: 
http://www.revistaecologico.com.br/no...

Ação humana acelerou extinção das espécies em 1000 vezes: 
http://hypescience.com/a-extincao/ http://www1.folha.uol.com.br/ciencia/...